2016
Julho a Dezembro
Depois da fotografia (Carlos Relvas, Um homem tem duas sombras; Ernesto de Sousa e a Arte Popular e Inquéritos à fotografia e ao território) e do desenho (Oracular Spectacular, desenho e animismo), dedicamos o novo ciclo expositivo à interrogação da escultura enquanto disciplina que existe na fronteira entre objeto e corpo, cópia e duplo, vida e morte, função e ostentação. Com "Objectos Estranhos: ensaio de proto-escultura" e "Caminhos de Floresta, sobre arte, técnica e natureza" ensaiamos uma reflexão sobre os modos de aparecimento, expansão e sobrevivência de uma prática que, desde tempos imemoriais, constrói e anima a relação do homem com o mundo que habita.
 
15 de julho 2016 a 15 de janeiro 2017
(...)
 
01 julho 2016 a 15 janeiro de 2017
(...)
 
Todo o ano
(...)