A Composição do ar
 Inicio | Anterior | Pag.8/22  | Próxima | Última
Livro da exposição
A Composição do ar


Representar o ar, ou seja, representar aquilo que não se vê, é, talvez desde tem- pos de que já não nos lembramos, uma das aspirações da prática artística. O ar é matéria e meio. É matéria (vital) sem estrutura, sopro sem corpo. É um meio: transporta coisas, engendra ideias, faz-se respirar. A tentação do ar é também uma aspiração ao voo, uma fuga ao peso, a superação da gravidade. Subir acima do horizonte para ver mais e melhor. Se pensarmos bem, o ar é aquilo que nos liga – na mais integral aceção da palavra ligação – aos corpos, às coisas, aos objetos em geral. À ínfima camada de ar, impalpável e imperscrutável, que envolve um objeto, de arte ou não, chamamos aura.Trata-se de uma qualidade inexplicável que algumas coisas transportam e que as transforma em objetos de desejo, em coisas amadas e contempladas. No CIAJG os objetos atravessam o tempo e cruzam fronteiras para estabelecerem encontros cujo sentido é mais ou menos evidente, mais ou menos visível. [Nuno Faria]
 
Edição
A OFICINA, CIPRL
Sistema Solar (DOCUMENTA)
Coordenação Editorial
Nuno Faria
Desenho Gráfico
Atelier Pedro Falcão
Proporção
[2:3] - 16 × 24 cm
Tipos de letra
Verdigris
Githic 720
PP.
160
Produção Executiva
João Covita
Textos
Nuno Faria
Eglantina Monteiro
Emília Távares
Tradução
Martin Dale
Miguel Moore
Revisão
Helena Roldão
Fotografia
Vasco Célio e/and Ricardo Nascimento / Stills
José de Guimarães (pp. 50-51)

David Luciano (pp. 77-80)

Henk Nieman (p. 82)
Benjamin Pereira (pp. 135-138)
Pré-Impressão, impressão acabamento
Tipografia Lessa
Tiragem
500
ISBN (A Oficina, CIPRL)
978-989-8474-33-9
ISBN (Documenta)
978-989-99307-7-3
Depósito Legal
Abril 2015
PVP: 15 euros