Extática Esfinge | Desenho e Animismo Parte II
Extática Esfinge | desenho e animismo parte II
Extática Esfinge | desenho e animismo parte II
Extática Esfinge | desenho e animismo parte II
Extática Esfinge | desenho e animismo parte II
Extática Esfinge | desenho e animismo parte II
Extática Esfinge | desenho e animismo parte II
Extática Esfinge | desenho e animismo parte II
 Inicio | Anterior | Pag.18/64  | Próxima | Última
Extática Esfinge
Desenho e Animismo Parte II
27 outubro 2017 a 04 fevereiro 2018


Depois de Oracular Spectacular, apresentamos o segundo e último tomo de uma indagação ao desenho enquanto prática visionária, oracular e animista. A exposição reúne um conjunto de universos autorais em torno de um entendimento expandido do desenho, por vezes nem sequer materialmente reconhecível enquanto tal. Aqui, o desenho surge num plano flutuante, para usar uma expressão do filósofo José Gil, dificilmente nomeável, como que investido de propriedades espirituais, animado, no sentido biológico do termo. Som, bordado, projeção, suspensão, impressão sobre tecido, palavra, luz, mas também intervenções sobre papel mais evidentemente classificáveis como desenho, definem um espaço de emergência de ideias, metamorfoses, fantasmas, aparições, visões. Em Extática Esfinge, podemos entender o desenho como aquilo que surge ainda sem objeto, sem finalidade — uma poderosa ferramenta fenomenológica de observação e de sincretismo, o espaço em que todas as coisas do mundo podem conviver antes de terem um nome e uma forma.

Animismo (do latim animus, alma, vida) é a visão do mundo em que as entidades não-humanas (animais, plantas, objetos inanimados ou fenómenos) possuem uma essência espiritual.
O animismo abrange a crença de que não há separação entre o mundo espiritual e físico (ou material) e de que existem almas ou espíritos, não só em seres humanos, mas também alguns outros animais, plantas, rochas, características geográficas (como montanhas ou rios) ou de outras entidades do meio ambiente natural, como o trovão, o vento e as sombras.
Extática, adj. caída em êxtase; causado por êxtase ou que envolve êxtase; encantada, enlevada, maravilhada.
Esfinge, s.f. na Grécia antiga, monstro fabuloso com corpo, garras e cauda de leão, cabeça de mulher, asas de águia e unhas de harpia, que propunha enigmas aos viandantes e devorava quem não conseguisse decifrá-los.

Curadoria Nuno Faria
Com Adriana Molder, Andrea Brandão, Carla Filipe, Catarina de Oliveira, Laetitia Morais, Sara Costa Carvalho, Marta Wengorovius, Dayana Lucas, Sara Bichão