José de Guimarães · Provas de Contacto
 Inicio | Anterior | Pag.18/22  | Próxima | Última
Livro da exposição
José de Guimarães / Provas de Contacto
Do stencil ao digital: processos de transferência da imagem


A presente exposição revela um extenso segmento do trabalho de José de Guimarães (Guimarães, 1939) mal conhecido e de grande relevância para o entendimento da obra do artista, que cobre um arco temporal de cinquenta anos: um conjunto muito diversificado de obras que dão corpo a uma incessante produção de imagens realizadas por transferência. Seja em torno de métodos tradicionais da gravura, seja de práticas menos convencionais, como o stencil, José de Guimarães desenvolveu desde o princípio dos anos 60 até aos dias de hoje uma incansável pesquisa que concilia experimentação material, rigor formal e um vocabulário de formas que permanentemente convoca a mestiçagem como conceito central da sua obra. O título da exposição - “Provas de Contacto” - é programático e operativo. Aqui, prova(s) é uma palavra para ser lida em duplo sentido: de tiragem, de repetição mas também no sentido da prova jurídica, de evidência. Por seu turno, contacto, deve ser entendido também em duplo sentido: imagens que se formam por contacto físico, pelo toque; mas ao mesmo tempo, o contacto que significa a busca do outro. [Nuno Faria]
 
Edição
A OFICINA, CIPRL
Coordenação Editorial
Nuno Faria
Desenho Gráfico
Atelier Pedro Falcão
Proporção
[2:3] - 16 × 24 cm
Tipos de letra
Verdigris
Gothic 720
PP.
208
Produção Executiva
João Covita
Textos
José Bastos
Nuno Faria
José de Guimarães
Tradução e Revisão
Martin Dale
Fotografia
Vasco Célio e/and Ricardo Nascimento – STILLS
Atelier José de Guimarães
Pré-Impressão, impressão acabamento
Gráfica Maiadouro
Tiragem
500
ISBN
978-989-8474-21-6
Depósito Legal
370 275/14
Fevereiro 2013
PVP: 20 euros