Lokapala, guardião funerário
Lokapala, guardião funerário
 Inicio | Anterior | Pag.26/50  | Próxima | Última
Lokapala, guardião funerário
Dinastia Han (202 a.C - 220)
Terracota

126 x 51 x 24 cm

O Budismo exerceu uma profunda influência na China durante a dinastia Tang, sobretudo ao nível da arte e da literatura. A coexistência do Budismo, do Taoismo e do Confucionismo como os “Três Ensinamentos” deu lugar a um sincretismo religioso e a uma confluência das artes visuais. O caráter profusamente visual e iconográfico do Budismo colocou uma ênfase nos esquemas de representação do sagrado e do panteão Taoista. Lokapala é uma expressão em sânscrito que significa guardião do mundo, referindo-se aos Quatro Reis Celestiais responsáveis por proteger cada um dos quatro pontos cardeais contra os espíritos do mal. Os guardiães budistas equiparam-se aos Quatro Reis Celestiais do Taoismo, Si Da Tian Wang 四大天王, normalmente representados nas portas ou à entrada dos templos, enquanto representações antropomórficas dos Quatro Símbolos da constelação chinesa. As esculturas funerárias de cerâmica de lokapalas podem representar o guardião isoladamente ou sobre os espíritos do mal, com um pé sobre o baixo-ventre e o outro sobre a cabeça ou o ombro. Estas esculturas eram normalmente colocadas à entrada dos túmulos juntamente com um par de zhenmushou, um espírito representado na forma de uma criatura híbrida semelhante a um cão, com asas e uma pluma proeminente, que protegia os mortos dos espíritos do mal. Os lokapala são representados com uma expressão facial aterradora e vestindo as armaduras de acordo com o estilo utilizado pelos militares da dinastia Tang. A representação de um pássaro sobre a cabeça poderá ser uma referência ao Pássaro Vermelhão, um dos Quatro Símbolos da constelação chinesa e o Guardião do Sul.

Lokapala, guardião funerário