Mumtazz | Hilaritas - Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas - Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas - Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas - Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas - Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
Mumtazz | Hilaritas Ascensor D'Mente
 Inicio | Anterior | Pag.12/59  | Próxima | Última
Mumtazz
Hilaritas | Ascensor D'Mente
27 outubro 2017 a 04 fevereiro 2018


“Robert Anton Wilson conta que descobriu a palavra HILARITAS nos Cantos de Ezra Pound, que citava o filósofo bizantino Gemisto Pletão. Dizia este: “podemos reconhecer os deuses mesmo na sua forma humana pelas suas magníficas Hilaritas”. Robert observa que no tempo de Pletão hilaritas significava “alegria, bom humor, diríamos, mas não no sentido de estar sempre a brincar”.
Durante muitos anos, Robert Anton Wilson assinou as suas cartas “amor e hilaritas”.
Hilaritas, do latim, significa “alegria ou leveza”. É também o nome de um asteroide descoberto em 1923 e que foi assim baptizado devido ao espírito alegre do astrónomo austríaco Johann Palisa, que o descobriu.

Mumtazz, uma das mais singulares artistas do panorama nacional, tem vindo a construir um percurso radicalmente heteróclito, profusamente poético e misteriosamente xamânico que, apesar de relativa discrição de como se tem vindo a apresentar no panorama artístico português, exerce uma intensa e subterrânea influência sobre um considerável espectro de artistas. Nascida em Lisboa, em 1970, a artista fez o curso avançado de desenho no Ar.Co e o mestrado na School of the Art Institute of Chicago, como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. Estreitamente ligado à prática da contracultura, implicado política e ecologicamente, retomando estratégias e modos do psicodelismo, o trabalho artístico de Mumtazz articula influências e elementos de diferentes culturas, diferentes tempos históricos e as mais diversas linguagens – a poesia, o som, o bordado, a fotografia, a instalação, o efémero, o geométrico e o orgânico. A programação do Centro Internacional das Artes José de Guimarães tem vindo a revelar alguns percursos essenciais na cena artística nacional. A exposição antológica de Mumtazz faz-nos descobrir uma artista cujo trabalho, na sua luminosa expansão poética, não tem fronteiras, limites ou interditos e estabelece a liberdade e a alegria de criar como fundamentos da existência humana.

Curadoria Nuno Faria